Páginas

outubro 31, 2013

Seis meses


E chega, de mansinho, a marca dos seis meses.
Ao contrário do que diz o senso comum, não passou rápido, não voou. Foi um processo difícil de morte e renascimento. Tive que reaprender a viver, a me comportar, a me relacionar, a dormir, a me locomover...e não foi fácil. Também não foi excruciante. Contanto, não olho com saudosismo para trás.
O primeiro trimestre é o mais difícil. O bebê é jogado na vastidão do mundo sem ao menos entender como saiu do útero e a mãe é jogada em uma vida que não era a sua. Ambos não estão preparados para isso. Há um enlutamento em conjunto, também chamado de puerpério. Eventualmente essa fase é superada, com o bebê entendendo o exterior e a mãe entendendo o interior.
No segundo trimestre, há um encontro de quereres e mãe e bebê se unem. Ele finalmente entende que há a figura materna, um reflexo de si. E os laços são fortificados. Um pouquinho depois, ele passa a reconhecer o pai ou outros cuidadores. Começa, então, a transição...
A partir daí, ele começa a descobrir o mundo. É a marca dos seis meses. Aquele bebê, que era um agente passivo do existir, passa a se comportar muito ativamente - engatinha por aí, tenta sonorizar coisas, se interessa por comidas e suas consistências, se interessa por todos os objetos, gosta de pegar, amassar, degustar, pular. Hoje, essa girafinha de brinquedo. Amanhã, o mundo.
É uma marca importante também para parar, revisar e repensar alguns pontos. Comecemos:


Amamentação


A amamentação deve ser o alimento exclusivo do bebê até mais ou menos seis meses. Ofertada em livre demanda, sempre. (instruções da OMS) 
Amamentar é um processo difícil - dói, causa rachaduras, stress, às vezes o leite não sai, às vezes o bebê não aceita, muitas coisas podem dar errado, a lista é imensa. Além disso, não é uma prática muito incentivada pela maioria dos pediatras de clínicas particulares, que ante a qualquer dificuldade já receitam o NAN. Não por desinformação, é claro que eles sabem que o leite materno é infinitamente superior e que um leite artificial pode trazer sérias infecções intestinais, otite e mais uma infinidade de coisas em bebês menores de seis mses. Por que, então, eles receitam NAN por qualquer motivo? Não precisa nem quebrar muito a cabeça, é só olhar a página inicial da Sociedade de Pediatria Brasileira e ver que eles são patrocinados pela Nestlé. 
mamando até em condições extremas
Por isso, mães que entendem a importância da amamentação exclusiva costumam comemorar os seis meses. São seis meses de amor, seis meses indo "contra a maré", seis meses se esquivando de "mas ele fica só no peito?", seis meses superando dores, seis meses estando lá, o tempo todo, em livre demanda. 
Comigo não foi tão difícil. As dores duraram apenas a primeira semana, o ganho de peso foi bem significativo e vontade de mamar nunca faltou. Mas mesmo assim é uma vitória interna, externa, que vai se propagar por toda a vida do Leon. Nós conseguimos. 
leitura labial: "também quero"
Com muito apoio, amor e compreensão do Isaac, que se ressente por não poder amamentar também, mas que fomenta o amor, o que é quase a mesma coisa. 
 Como me disse uma vez a obstetra do posto de saúde: "são só seis meses. pra você não vai fazer diferença no final, mas para o seu filho é a coisa mais importante do mundo." 
Agora começa a exploração do mundo das comidas sólidas (ok, não agora, ele vem degustando frutinhas tem quase um mês). Hoje mesmo eu estava comendo uma sopa de abóbora com gengibre e ele se meteu no meio e começou a comer comigo. Mas isso é assunto para outra hora.
E é isso. Conseguimos!


Babywearing


Pra quem não entende inglês, a palavra significa, literalmente, "vestir bebê". É uma prática mais antiga que tudo, presente em várias culturas e consiste, basicamente, em carregar o bebê em um "sling" - inglês para "tipóia" - em todos os momentos. Completamos seis meses de babywearing ininterrupto, também. Até hoje não usei carrinho (nem tenho um) e não senti a menor falta. 
Não tenho muita base de comparação, mas acredito que o contato corporal constante comigo o faça ficar muito mais tranquilo. Tanto que as chamadas "cólicas" nunca ocorreram. Houve um episódio de dor estomacal onde ele chorava sem parar e muito alto e a única coisa que resolveu um pouco foi colocá-lo no sling e cantar pra ele. Só. 
Parece complicado, muitas pessoas me param na rua e falam que a filha/irmã/tia/etc comprou um mas nunca soube amarrar, mas é a coisa mais simples do mundo e facilmente aprendida assistindo tutoriais no youtube. Parece pesado, mas o peso é distribuído homogeneamente e, mesmo o nenem tendo quase dez quilos, não sinto incômodo nenhum e ando quilômetros com ele, tranquilamente. 
Também acredito que deixá-lo à altura da minha visão ajuda-o a entender um pouco mais o mundo através das minhas reações, tanto que ele é super curioso e esperto, os olhos estão sempre acesos olhando ao redor. 
É algo que recomendo. A proximidade faz bem ao bebê, faz bem à mãe, além de ser super prático e te deixar com as mãos livres para fazer o que quiser ao mesmo tempo que acalenta a cria. E estenderei esse carregamento até ele conseguir dar seus próprios passos - o que não vai demorar muito, viu. 



Fralda de Pano

Nesse ponto eu encho a boca para comemorar: seis meses usando fralda de pano sem arredar o pé nenhuma vez. Encho a boca pois o que teve de gente criticando essa escolha e dizendo "num vai aguentar nem duas semanas" não foi brincadeira. Dá um trabalhinho lavar, dá uma preguicinha, às vezes deixo acumular demais, mas é também a coisa mais sensacional do mundo e não me arrependo nem por um segundo de tê-las adquirido. Dinheiro gasto com fraldas descartáveis até o momento: uns vinte reais, no máximo. Ganhamos alguns poucos pacotes e eles duraram bem. É claro que usamos fralda descartável. Quando vamos dar uma saída mais longa ou quando o tempo está frio e as fraldas demoram mais para secar, mas o uso majoritário é das fraldas de pano. 
Não preciso empapá-lo com hipoglós (ele nem usa isso, aliás), assaduras ocorrem quase nunca. Quando fica assado, é coisa bem leve e é só passar uma pomada de calêndula que no final do dia já está bom. Assadura voraz nunca apareceu por aqui. 
Além do mais, imagino que seja muito mais confortável para o bumbum dele ser sustentado por um paninho gostoso, não um plástico esquisito. Imagina que horror usar absorvente vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana. 
A natureza, a bunda dele e o nosso bolso agradecem. 


Escrevo esse post não por arrogância ou qualquer coisa assim, mas é porque essas escolhas que fiz são tão difíceis de serem aceitas ou respeitadas que fico extremamente feliz em chegar aqui assim, tão segura e firme nas decisões. Não que eu me importe muito com a opinião alheia no que tange esse assunto, mas às vezes é difícil segurar a barra com o mundo contra você.
Por sorte, encontrei grupos de apoio muito fortes na internet e eu e o Isaac fazemos um time incrível.
E que venham os outros seis meses e muitas descobertas do mundo para esse ex-paçoca! 

7 comentários:

  1. Parabéns pelas evoluções e conquistas Sacha, Leon é lindo e acredito que tenha muita sorte por ter você. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Jão -sim,o de 20071 de novembro de 2013 17:35

    muito bacana mesmo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jão! ♥ que lindo te ver por aqui. Saudade de você. Obrigada. :)

      Excluir
  3. sacha, sempre te admirei muito e sou apx por voce, desde sempre, de longe, em abraço-distante.
    fiquei um pouquinho mais junto com o leon chegando, e sentindo tanto amor e transbordamento, já chorei várias vezes de emoção sensível lendo o seu blog, ou pensando em ti
    e é tao poquinho o "conhecer real", nem sei do que tu gosta, por exemplo, de comer, de ver, e sei tao menos desse universo imenso que é voce em maternagem, nessa luta tão bonita, em cada passo e processo, e a admiração platonica perdura, em intuitivas sintonias
    estou transbordando amores e bem querer, e quis compartir <3

    ResponderExcluir
  4. Sacha, você é muito sensacional por vários motivos. Presto atenção em seus cuidados com o Leon porque quero ser uma mãe tão boa e inteligente como você algum dia.

    ResponderExcluir
  5. Te conheço do ask e nunca tinha parado pra ler teu blog, legal mesmo. Leon tá lindão x)

    ResponderExcluir
  6. Você e o Isaac são ótimos pais, parabéns!Quando eu tiver um filho espero conseguir fazer as melhores escolhas também, e agora que vou ser titia posso ir treinando, já! HAHAHAHAHHAHA <3 paz e amor pra vocês!

    ResponderExcluir